Enfermeiros da rede municipal de Osasco têm treinamento para tratamento de feridas

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Osasco está realizando desde maio o treinamento para um grupo com cerca de 70 enfermeiros da rede municipal para atualização de tecnologia e conhecimento científico referente ao tratamento de feridas.

Os enfermeiros fizeram uma aula experimental de desbridamento instrumental conservador em patas de porco. O desbridamento é um método de extração de corpos estranhos e tecidos desvitalizados ou necróticos no qual enfermeiros têm permissão de fazer respaldados pelo Coren/Cofen até o limite do tecido subcutâneo.

Após revisarem diversos tipos de desbridamentos, como o autolítico, químico ou enzimático, mecânico e instrumental, e avaliação de feridas com necroses, escaras, queimadura, entre outros, eles também atualizaram a aplicação correta de alguns produtos adequados no processo fisiológico de reparação tecidual, como o Aquacel. Eles também reviram habilidades técnicas com os instrumentais, como bisturi, pinças e tesouras.

“Estamos aprimorando o processo de qualificação da assistência da nossa rede. Realizar esse treinamento para o nível secundário de atenção à saúde do nosso município é primordial”, destacou o secretário municipal da Saúde, Fernando Machado.

O curso é ministrado pela dermatologista e estomaterapeuta Rosana Correa, assessora técnica de treinamentos da Convatec, uma das fornecedoras dos materiais de curativo para a rede pública de saúde.

“O objetivo do treinamento é atualizar o conhecimento dos enfermeiros, pensando em melhorar a qualidade da assistência direta ao paciente e a melhora na qualidade de vida dele. Existem muitos pacientes com lesões crônicas que se isolam do convívio social, inclusive da família e, quando a gente consegue fazer uma diferença na qualidade de nossa assistência, a gente consegue promover um impacto positivo na vida desse paciente. Como o processo de cicatrização muitas vezes não é rápido, em pouco tempo traz resultado para essa pessoa voltar às atividades de sua vida diária”, explicou Rosana Correa.

O grupo de enfermeiros realizará ao longo do treinamento um conteúdo científico de relato de casos das patologias vivenciadas no trabalho com o uso das novas tecnologias apresentadas pela Convatec.

Ao final do curso, previsto para novembro, entregarão o estudo de caso que poderá ser apresentado em Congresso Nacional.

“O grupo está dividido em duplas. Será feita uma peneira nos trabalhos apresentados e os cinco melhores passarão por uma análise por banca examinadora, que escolherá apenas um estudo de caso. Os profissionais contarão com suporte para formulação do trabalho científico, caso necessitem”, disse Rosana Correa.

A enfermeira Ana C. D. Castro, que atua na Maternidade Amador Aguiar, é uma das participantes do treinamento. “É extremamente válido e muito importante essa atualização, porque nós lidamos com feridas operatórias e suas intercorrências, como as deiscências (abertura espontânea dos pontos) de cesárias, de cirurgias ginecológicas, as mastites (inflamação das glândulas mamárias), e mastites mais complicados com necrose de tecido”, pontuou.

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: