Senador Major Olimpio morre em São Paulo por complicações da Covid-19

O senador Major Olimpio (PSL-SP), de 58 anos, teve morte cerebral, nesta quinta-feira (18), após ter contraído Covid-19. A informação foi confirmada pela família nas redes sociais do político. Ele deixa esposa e dois filhos.

“Com muita dor no coração, comunicamos a morte cerebral do grande pai, irmão e amigo, senador Major Olimpio. Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmação do óbito e está verificando quais órgãos serão doados. Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”, escreveu a família.

Ele contraiu a doença no início do mês, quando apresentou sintomas leves. No entanto, ele precisou ser intubado, pela primeira vez, no dia 6 de março no Hospital São Camilo, em São Paulo. Antes disso, ele chegou a participar de uma sessão de um leito hospitalar, mas o sinal da transmissão falhou e não concluiu o discurso.

Major Olimpio iria completar 59 anos no próximo sábado (20). Ele é natural de Presidente Venceslau, cidade do interior de São Paulo, e antes de ser senador foi deputado federal (2015-2019) e deputado estadual por dois mandatos (2007-2015). Ele também serviu como policial militar por 29 anos.

Nas eleições de 2018, o militar foi o senador mais votado com 9 milhões de votos para cumprir seu primeiro mandato na Casa. Os suplentes dele na Casa são o empresário Alexandre Luiz Giordano e o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

Luto no Senado

Por meio de nota, o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), lamentou o falecimento do senador paulista. E, em respeito à memória dele, o Senado Federal decretou luto oficial de 24 horas: “As sinceras condolências do Parlamento Brasileiro à família, amigos e a todos os paulistas”.

Terceiro

Líder do PSL no Senado, Major Olimpio foi o terceiro senador a falecer por complicações do coronavírus. Arolde de Oliveira (PSD-RJ), morreu aos 83 anos em outubro do ano passado, e José Maranhão (MDB-PB), aos 87 anos, no início de fevereiro deste ano.

Repercussão

Pacheco classificou a notícia do falecimento como devastadora. “Brincávamos nos corredores da Casa sobre a política do café-com-leite, momento da história do nosso país vivido em nossos Estados. Pensávamos diferente em diversas situações, mas gostávamos e respeitávamos um ao outro. No dia de hoje perdemos todos. Perdemos um companheiro de trabalho, perdemos um trabalhador, perdemos um amigo. Perdemos mais um brasileiro”, disse o presidente do Senado.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, também se manifestou  por meio de nota. Ele disse que o “Brasil perde um parlamentar combativo pelo respeito aos valores institucionais do Estado Democrático brasileiro”. “Solidarizo-me com o Congresso Nacional e com a família do senador. Envio ainda meu abraço aos familiares das mais de 285 mil vítimas da Covid-19 no Brasil”, afirmou.

Outro que se manifestou foi o presidente do PSL, o deputado federal Luciano Bivar (PE): “Essa morte precoce de nosso amigo, colega e fraterno  Major Olímpio, que sempre esteve ao lado de nossa causa política por um Brasil melhor, deixa todos nós sem chão. Só nos resta nos solidarizar com sua família e pedir a Deus que nos proteja em espírito e força para caminharmos sempre juntos em busca dos nossos ideais”.

 

Fonte: O TEMPO

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: