Programas de reuso de água da chuva nos Transportes Metropolitanos ajudam meio ambiente

Nesta segunda-feira (22) em que celebramos o Dia Mundial da Água, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) lembra a importância do uso racional da água para preservar esse bem essencial para a sobrevivência dos seres vivos, para manter o equilíbrio da biodiversidade e também para regular o clima do planeta. Estamos tão acostumados a sua presença que muitas vezes não nos damos conta de que a água é um bem finito. As empresas ligadas à STM desenvolvem ações de uso racional da água, alinhadas com o tema definido pela ONU este ano: a valorização da água.

Pensando na sustentabilidade do planeta, o Metrô aproveita água da chuva para lavar os trechos subterrâneos de suas linhas. Essa operação é feita diariamente, por trechos, sempre nas madrugadas. Para executar este serviço de limpeza, o Metrô tem dois veículos chamados “pipa” que percorrem cerca de 1 km por dia. Cada veículo usa 35 mil litros de água de reuso nesta operação, prática que garante segurança sanitária para os passageiros e sustentabilidade para a Companhia.

A ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela de metrô, utiliza água de reuso na máquina automática de lavagem externa dos trens e para limpeza dos terminais de ônibus anexos às estações São Paulo-Morumbi e Butantã. No Pátio Vila Sônia, a concessionária construiu uma Estação de Tratamento de Água de poço artesiano que abastece com água potável todas as 10 estações, desde 2019.

Na CPTM, a água da chuva também é aproveitada em atividades de limpeza em 21 estações e também no pátio da Lapa, onde é feita manutenção de trens.

Seguindo essa política de sustentabilidade, empresas que operam linhas da EMTU também têm programas próprios que visam fazer um uso consciente desse bem, com aproveitamento de água da chuva e tratamento de água usada na limpeza.

A concessionária Metra, responsável pela operação do Corredor Metropolitano ABD, economizou 10 milhões de litros em um ano com o seu sistema de reuso de água. Isso corresponde a quatro piscinas olímpicas com 50 metros de comprimento e 25 de largura, ou 10 mil caixas d’água residenciais com mil litros cada. O sistema de reuso de água da empresa foi criado em 2008 como parte da política de preservação ambiental e responsabilidade empresarial. Outra ação importante é a captação de água em um poço artesiano para a lavagem dos seus 270 ônibus e trólebus, peças de manutenção, áreas dos corredores, calçadas e jardins da sede em São Bernardo do Campo.

A Guarulhos Transportes, empresa do Consórcio Internorte, tem instalado um moderno sistema de Estação de Tratamento de Efluentes, em que toda a água consumida industrialmente na lavagem dos ônibus é reutilizada – em média, 21 mil litros.

A Viação Pirajuçara, do Consórcio Intervias, operador do transporte intermunicipal na região sudoeste da Grande São Paulo, também dispõe de uma Estação de Tratamento de Água. Após tratado, o líquido é reutilizado para a lavagem da frota, evitando o desperdício.

A Radial Transporte e Alto Tietê Transporte (ATT), ambas integrantes do consórcio Unileste, na região de Mogi das Cruzes, reutilizam cerca de 80% da água usada para a lavagem diária dos veículos. Óleos, graxas e demais resíduos são separados da água que retorna aos tanques para ser novamente utilizada na limpeza. A preservação da água é uma das principais preocupações ambientais da empresa, que adotou um sistema de captação e armazenamento da água das chuvas em um tanque para realizar o enxágue dos carros. Em Ferraz de Vasconcelos o tanque de reuso possui capacidade para 10 mil litros de água e em Suzano, para 20 mil litros de água.

A Viação São João, que opera linhas intermunicipais na região de Sorocaba, possui um sistema que capta a água da chuva para utilizá-la nas descargas dos banheiros e na lavagem interna e externa de todos os veículos da frota.
A mesma água é reutilizada mais de uma vez. O sistema funciona com cisternas (caixas coletoras) capazes de armazenar mais de 70 mil litros de água. Ali, o líquido é tratado e utilizado, evitando o desperdício e gerando economia.

Na BR Mobilidade, operadora do VLT e do sistema metropolitano na Baixada Santista, o sistema de reuso de água também recupera as águas servidas, promovendo a redução no consumo de água e na utilização de xampus e outros produtos na lavagem dos veículos.

Secretaria dos Transportes Metropolitanos – A STM cuida diariamente (em tempos normais) do transporte de cerca de 10 milhões de passageiros que usam os ônibus gerenciados pela EMTU, além dos trens do Metrô, da CPTM e das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, concedidas à iniciativa privada. A Estrada de Ferro Campos do Jordão, no interior do Estado, também é responsabilidade da STM, assim como o Parque Capivari, igualmente em Campos do Jordão e concedido à iniciativa privada.

Secretaria dos Transportes Metropolitanos

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: