População de Diadema elege segurança, educação e saúde como principais demandas durante audiência do Orçamento estadual para 2023

Os pedidos para as áreas da segurança pública, da educação e da saúde dominaram a audiência pública do Orçamento estadual para 2023 realizada pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo nesta segunda-feira (23), no município de Diadema.

Organizada pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, a reunião desta noite foi presidida pelo presidente do colegiado, deputado Gilmaci Santos (Republicanos), e contou com a presença dos deputados Enio Tatto (PT), Jorge do Carmo (PT) e Márcio da Farmácia (Podemos).

Dentre as demandas levadas pela população de Diadema para inclusão na peça orçamentária do Estado para o próximo ano, estiveram os pedidos para a ampliação do efetivo da Polícia Militar no município. “Diadema, por ter uma densidade populacional muito grande, precisa ter o efetivo melhorado”, afirmou o vereador Cabo Angelo.

Maria Ivanilza, que é moradora de Diadema, falou sobre a violência contra a mulher e levou a solicitação para que a delegacia da mulher do município passe a funcionar por 24 horas. “Nessa pandemia o que mais teve foi violência contra a mulher. Diadema hoje tem um aumento do feminicídio, com casos que não são resolvidos”, afirmou.

O estudante Henrique Araújo usou o espaço para reivindicar também maior ação da PM na cidade. “Tem vez que a gente vê mais viaturas da GCM do que a Polícia Militar, e isso não é culpa da PM, falta efetivo. O governo do Estado precisa tomar uma postura quanto a isso”, disse.

Na ocasião, Araújo também abordou as más condições das escolas estaduais de Diadema. “Hoje no Estado mais rico da nação falta merenda nas escolas, é um problema que precisamos colocar no Orçamento para resolver”, disse o estudante, que também criticou a superlotação das salas de aula no Estado. “Em uma sala do período noturno temos 40 alunos, estudos mostram que o ideal seriam 20 alunos. Temos que colocar no Orçamento a construção de escolas”, afirmou.

O vereador José Antônio fez o pedido para a contratação de profissionais capacitados para o atendimento de crianças com necessidades especiais da rede pública de ensino. “Vemos uma falha muito grande na educação inclusiva no Estado de São Paulo. A educação tem recurso para a contratação de profissionais e não apenas deixar o aluno especial encostado”, disse.

As necessidades da saúde de Diadema também foram destaque durante a audiência desta noite. João Flávio Pinheiro, que é conselheiro de saúde na cidade, solicitou recursos para a compra de medicamentos de alta complexidade. “Não chega para o município, as pessoas precisam e não podem comprar”, afirmou.

Já o vereador Márcio Júnior pediu a destinação de verbas para a construção de um centro de distribuição de medicação de alto custo em Diadema. “Hoje contamos com nossa cidade vizinha. Seria muito importante se a gente tivesse um centro de distribuição no Hospital de Serraria”, disse.

Outras demandas

Os moradores e autoridades de Diadema também apresentaram demandas para as áreas da assistência social, mobilidade urbana e da causa animal do município.

Ex-vereador de Diadema, Antonio Rodrigues abordou a situação da integração entre as linhas de ônibus municipais e intermunicipais, que de acordo com ele, encontram-se precarizadas na cidade. “Os deputados têm que pensar em um subsidio que beneficie a população em geral. Temos que ter um terminal decente que beneficie tanto São Paulo quanto Diadema”, afirmou.

Já Maria Martins, que é funcionária da prefeitura de Diadema, solicitou recursos para a custeio de ações de segurança alimentar no município. “Diante da crise econômica a fome aumentou no nosso município. Hoje precisamos atender um maior número de pessoas e passamos pela dificuldade de captar alimentos para destinar às organizações sociais”, disse.

O vereador Robson Nascimento levou o pedido para a criação de programas voltados para a atenção de idosos em Diadema. “Sabemos as dificuldades que a cidade possui por não ter nenhum programa especifico para a terceira idade”.

Como participar

As audiências públicas são transmitidas ao vivo pela Rede Alesp na TV e no Youtube. Os interessados em participar com demandas e sugestões, deverão se inscrever no site da Assembleia (www.al.sp.gov.br), no ícone “Audiências Públicas do Orçamento”, e seguir as orientações. No dia da audiência da região correspondente, o link da plataforma Zoom será encaminhado através do e-mail informado no formulário de inscrição. No mesmo ícone, o cidadão poderá enviar sugestões ao Orçamento.

 

 

ALESP

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: