Barueri

PF encontra três corpos numa terra indígena no sudeste do Pará, onde três caçadores desapareceram

Peritos tentam identificar os três corpos encontrados, neste sábado (30), numa terra indígena, no Pará. Três caçadores desapareceram na mesma região, no domingo passado (24).

Policiais encontraram na manhã deste sábado os três corpos em uma região de mata fechada na terra indígena Parakanã, em Novo Repartimento, Sudeste do Pará, uma reserva com mais de 350 mil hectares. Os corpos estavam enterrados em covas rasas, cobertos por folhas, e em estágio avançado de decomposição.

Desde quinta-feira (28), após autorização da Justiça, mais de 150 agentes das polícias Federal e Militar, Força Nacional e Corpo de Bombeiros tentavam localizar três caçadores.

Cosmo Ribeiro de Sousa, William Santos Câmara e José Luiz da Silva Teixeira desapareceram no último domingo (24), depois de entrarem na terra indígena. Uma lei federal proíbe que pessoas estranhas aos indígenas entrem na reserva sem autorização.

Parentes e amigos dos caçadores chegaram a interditar nesta semana a BR-230, a rodovia Transamazônica, para protestar contra a demora no início das buscas.

No fim da tarde desde sábado, os três corpos chegaram ao Instituto Médico Legal de Marabá (PA), onde peritos do estado do Pará e da Polícia Federal tentam identificar as vítimas e apontar a causa das mortes. A PF informou que as investigações continuam para localizar os responsáveis pelo crime.

Parentes dos três caçadores foram chamados ao IML para tentar fazer o reconhecimento. Segundo o advogado das famílias, os pertences encontrados ao lado dos corpos são dos três caçadores.

“As famílias estão angustiadas, estão sofrendo. Precisa que as autoridades façam valer a justiça e que os criminosos paguem por tudo o que fizeram nos moldes da lei”, declara Cândido Lima Júnior. .

 

Fonte: G1 – JN

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: