Osasco apresenta redução em indicadores de criminalidade

A Frente Parlamentar da Segurança Pública realizou, no Plenário Tiradentes da Câmara de Osasco, uma reunião com autoridades das forças de segurança do município, a fim de debater políticas públicas para aumentar a segurança em Osasco.

Na oportunidade, a tenente-coronel Eunice Rosa Godinho, comandante do 14º Batalhão da PM de Osasco, comentou que os indicadores de criminalidade em Osasco, se comparados a 2019, apresentam redução significativa. “Os anos mais complicados da pandemia, que são 2020 e 2021, foram atípicos, mas, mesmo assim apresentaram redução. Se comparamos esse período em 2019 e 2022, a redução é significativa em termo de média”, comentou a comandante.

De acordo com dados apresentados por Eunice Godinho, houve redução de 34% nos indicadores de estupros, 29% em homicídios dolosos e 21% nos casos de furtos de veículos. “A participação da população é fundamental para que possamos ser ainda mais efetivos no combate à criminalidade. Se as pessoas registrarem através do 190, online nos canais da PM, através dos grupos do Programa de Vizinhança Solidária, podemos traçar estratégias ainda mais eficientes”, ressaltou a comandante ao declarar que para combater a criminalidade é preciso efetivar ações conjuntas. “Quando não se tem o que comer, quando não se tem uma educação fortalecida, a possibilidade disso se tornar um problema de segurança pública é alta”.

O secretário municipal de Segurança e Controle Urbano, coronel José Virgolino de Oliveira, falou sobre a preocupação do Executivo em melhorar as condições de trabalho das forças de segurança, inclusive com aumento do efetivo da Guarda Municipal. Virgolino também apontou os maiores indicadores de criminalidade na cidade. “O furto é o nosso maior indicador. Furto de todas as espécies, principalmente de cabos de materiais de cobre. Infelizmente, nesse tipo de crime, na maioria das vezes, o delinquente é solto no mesmo dia, no máximo no outro dia, e muitas vezes volta a cometer o mesmo crime”, comentou Virgolino.

Sem fugir da polêmica, o vereador Délbio Teruel (União Brasil), que tem uma história pessoal que marcou sua vida, defendeu com veemência as forças de segurança. “Quando falo de segurança, sempre me exalto e sempre peço melhores condições de trabalho”, comentou Teruel, ao contar a sua história. “Às 9h, em um dia de trabalho, meu pai morreu vítima de três vagabundos que entraram no nosso mercado atirando, para roubar e matar meu pai. Então eu falo com propriedade para defender as forças de segurança, porque acho que bandido tem de ser tratado na bala e no cacete”, disse o parlamentar.

O Dr. Fagner Ferreira Soares, delegado da Polícia Civil, exaltou o trabalho de Osasco no combate à criminalidade e declarou que é importante a sociedade se unir. “Precisamos desenvolver esse trabalho conjunto, para combater efetivamente os crimes que acontecem em nossa cidade. E temos plenas condições para isso”.

O vice-presidente do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) Sul, Edgar Nagy, falou da importância da participação da população nas reuniões do conselho e de como o Programa de Vizinhança Solidária tem sido importante para a redução da criminalidade. “Reforço a necessidade de fortalecer nossa união, temos as ferramentas e as condições de integrar as forças de segurança e esse é o diferencial da nossa cidade. Vejo pelos indicadores e pelos grupos que participo do PVS o quando esse programa ajudou a reduzir a criminalidade”. comentou.

A informação de Nagy foi confirmada pela tenente-coronel Eunice Godinho que sugeriu a realização de workshops e seminários para levar informação à sociedade sobre o papel do Programa Vizinhança Solidária. O presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva (PSD), que também participou da reunião, declarou que a Casa de Leis pode contribuir muito para fortalecer a segurança na cidade. “Aqui podemos desenvolver políticas públicas que beneficiem a sociedade e ajudem a reduzir a criminalidade. Nós também somos canais de informação e podemos ajudar nesses workshops”, declarou Ribamar Silva.

O Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, vereador Josias da Juco (PSD), autor da Lei que implantou o Programa Vizinhança Solidária em Osasco, falou sobre o papel da Frente Parlamentar e sobre a necessidade de unir forças para fortalecer as forças de segurança na cidade. “Estamos fazendo algumas reuniões para que possamos melhorar as condições de trabalho de todos. Também colocamos aqui a honraria das forças de segurança, que tem como objetivo homenagear profissionais que prestam serviços de forma exemplar. Acreditamos que as forças de segurança precisam, sim, ser valorizadas”, comentou Josias, ao falar sobre a possibilidade de Osasco ser a primeira cidade no país a regulamentar o trabalho dos motoristas de aplicativos. “Sabemos que existe uma dificuldade em fazer isso, mas precisamos proporcionar segurança para todos, inclusive para os que trabalham como entregadores”, afirmou Josias.

Também participaram da reunião os vereadores Michel Figueredo (Patriota), Paulo Júnior (PP) e Elsa Oliveira (Podemos), assessores parlamentares, Deise Oliveira (Ativoz), representantes das forças de segurança – Polícia Militar: Capitã Eliane Renó (Comandante da 1ª CIA do 14º BPM/M), Capitão Davi Marques (Comandante da 5ª CIA do 14º BPM/M), Capitão Marcos Vinícius Mello (Comandante da 3ª CIA do 14º BPM/M), Capitão Paulo César Sanches (Comandante da 2ª CIA do 14º BPM/M), Capitão Daniel Ribeiro Juvino (Comandante da 4ª CIA do 14º BPM/M) e a Tenente Coronel PM Eunice Rosa Godinho (Comandante do 14º Batalhão de Polícia Metropolitana) – GCM: Comandante Maidana.

 

Cãmara Municipal de Osasco

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: