Núcleos de Moda e confecção colecionam histórias de sucesso em Barueri

A história de sucesso começou no dia 30 de setembro de 2005, quando foi inaugurado o primeiro Núcleo de Moda do Fundo Social de Solidaridade de Barueri e da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Sads), no Parque Imperial.

A ideia inicial era capacitar pessoas na área da costura e promover uma forma de gerar renda. De lá para cá, centenas de pessoas mudaram suas vidas, construíram um futuro diferente, realizaram sonhos e, literalmente, entraram para o mundo da moda.

 Parque Imperial

Hoje, o Núcleo de Moda do Parque Imperial conta com 118 alunas em três cursos diferentes: Costura Industrial (para iniciantes), Modelista de Roupas e Costura Modular.

 Elaine Cristina Silva Leolino é moradora do Imperial. Ela conta que já costurava, mas depois que fez os cursos, descobriu que não sabia costurar: “as costureiras caseiras não ganham dinheiro porque não nos sentimos capazes e também não sabemos cobrar”. Hoje, Elaine foi convidada por um restaurante do Brooklin para fazer as cortinas do lugar e acabou ganhando outro cliente, a imobiliária que queria um guarda-sol. “O dono gostou tanto que colocou-o na casa dele e acabei fazendo dois”, conta.

 Jardim Califórnia / Flórida

Localizado no CCPL (Centro de Capacitação Profissional e Lazer) do Jardim Flórida, o Núcleo de Moda iniciou as aulas no dia 7 de março deste ano e tem hoje 46 alunas. Maria Vitória dos Santos Campaner é um exemplo de que todos acabam seguindo seu destino.

 “Minha avó sempre foi costureira, mas não conseguia ensinar porque era analfabeta. Em 2018, descobri em Jandira um curso certificado pelo Senai, mas eu não podia pagar. Um tempo depois, uma vizinha que estava de mudança me presenteou com sua máquina de costura e muitos acessórios. Eu olhava para a máquina, mas não sabia como costurar. Um dia trouxe meus filhos para brincar aqui perto, vi as máquinas e comecei o curso. Nunca imaginei que conseguiria fazer roupas”, detalha Maria Vitória.

 A intenção da aluna do Núcleo é concluir o curso e fazer pequenas reformas em sua casa, com a máquina que ganhou de sua vizinha. Ela afirma que se não fosse a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social e o Fundo Social de Solidariedade darem o curso gratuitamente, seu sonho jamais seria realizado.

 Núcleo Central

142 alunas aprendem no Núcleo de Moda Central, no prédio da Sads. Francisca de Paula Vieira tem 67 anos e sai do Jardim Mutinga para aprender e realizar um sonho de quando era adolescente. “Com 13 ou 14 anos eu era arrematadeira na região da José Paulino. Namorei, casei, construí uma família e tempos depois era aquela vida vazia, sem sentido”.

 Francisca conta que aos 60 anos tudo mudou. “Corri atrás, eu queria costurar. Tinha a Sônia Furlan, o Senai e o curso e agora eu executo verdadeiras obras-primas”, orgulha-se. Quando pensa no futuro, Paula sonha alto: “ainda tenho tempo para construir uma vida, quero costurar em casa, fazer roupas, tudo que aparecer”. Aos mais jovens, ela deixa uma mensagem: “venha, faça o curso e se recicle sempre, aprenda tudo o que tiver oportunidade de aprender”.

 Confecção Vale do Sol

A Confecção que começou a funcionar no dia 11 de maio deste ano produziu em apenas uma semana cerca de mil peças de moletom que serão entregues na Campanha do Agasalho 2022. Vinte e duas ex-alunas dos Núcleos de Moda trabalham lá recebendo uma bolsa-auxílio no valor de um salário mínimo.

 Uma delas é Maria de Fátima Lima, uma senhora de 70 anos, muito ativa, que em 2019 passava por uma depressão e começou a fazer o curso para iniciantes. A pandemia adiou seu sonho, mas ela não esperaria muito para realizá-lo. “Antes do curso eu não sabia absolutamente nada, mas sempre gostei de ajudar e fazia casaquinhos de tricô e crochê para a dona Sônia Furlan distribuir na Campanha do Agasalho. Assim que concluí o curso e soube da confecção, pedi para ser voluntária, eu queria muito ajudar. Insisti e aqui estou, cheia de alegria”, relata. Maria de Fátima quer ajudar o próximo e vai aproveitar seus conhecimentos para costurar roupas para seus netos.

Menina dos olhos

Sônia Furlan, presidente do Fundo Social de Solidariedade, e Adriana Bueno Molina, secretária da Sads, visitaram os Núcleos de Moda e a Confecção na última quinta-feira, dia 19.

Adriana explicou às alunas que um dos objetivos da Sads é trabalhar em prol da expectativa das pessoas e que os cursos oferecidos pelos Núcleos sempre foram muito procurados. “Que muitas portas sejam abertas a todas vocês”, desejou.

Sônia Furlan disse que o momento era de alegria. “De todos os cursos de capacitação que oferecemos, este é a menina dos olhos. Quando começamos, sabíamos que seria um bom caminho. Hoje temos professoras, instrutoras muito competentes, que gostam do que fazem e montamos uma confecção”, relembrou ela durante a visita.

Segundo Elisangela Oliveira, coordenadora dos Núcleos de Moda, em todos os Núcleos há um clima de união entre cada integrante da equipe. “Somos como uma grande linha de produção e trabalhamos com carinho. Assim, cada peça que fazemos tem uma marca deixada pelo nosso amor”, afirma.

Os Núcleos são um projeto do Fundo Social de Solidariedade de Barueri em parceria com a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Sads). Oferecem cursos de  Costureiro de Máquina Reta e Overloque e Modelista de Roupas, todos eles certificados pelo Senai. Entre 2017 e 2019 formaram 940 alunas e só no primeiro semestre deste ano há 306 pessoas estudando.

 A  expectativa é que junto com a Confecção sejam produzidas 24 mil peças de inverno que serão distribuídas na Campanha do Agasalho 2022.

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: