Na Câmara, empresários discutem projeto “Osasco que Queremos”

Empresários e comerciantes osasquenses participaram, do primeiro encontro do projeto “Osasco que Queremos”, na Câmara Municipal de Osasco, e puderam opinar sobre o pode ser feito para melhorar a vida da população do município nos próximos anos.

Redução de impostos, mudanças na malha viária e no sistema de mobilidade urbana, assim como investimentos em turismo de negócios foram os principais pontos elencados pelos empresários convidados.

O encontro foi organizado pelo Vereador Mário Luiz Guide (PSB), que presidiu os trabalhos. Também compuseram a mesa o Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Osasco (ACEO), Amir Gomes dos Santos, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Osasco e Região, Jorge Kalamakian, e o Secretário Municipal de Indústria, Comércio e Abastecimento, Paulo Contim. Ainda estiveram presentes os vereadores Tinha Di Ferreira (PTB), Dra. Régia (PDT), a Presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Professora Tereza Santos, além de comerciantes e empresários locais.

Em 2014, após a união entre empresários, vereadores e Prefeitura, o Código Tributário do Município de Osasco foi reformulado e as alíquotas de Imposto Sobre Serviços (ISS) caíram de 5% para 3%. Agora, os empresários pleiteiam uma nova redução, estimada em um ponto percentual, para garantir a geração de mais emprego, renda e desenvolvimento.

O presidente da ACEO, Amir Santos, defendeu a redução das alíquotas do ISS de 3% para 2%, como forma de estimular a geração de emprego e renda para o município, sobretudo nas áreas da saúde e turismo. “Está na hora de voltar a pensar nisso. A redução para 2% pode ser muito útil”, disse.

Ari Santos traçou um panorama da atividade empresarial local e falou sobre a mudança do perfil da economia osasquense, que nos anos 1970 era predominantemente industrial. Hoje, as atividades que mais empregam são os serviços, com 76.300 postos de trabalho, e o comércio, com 44.500. Juntos, esses dois setores da economia representam 76% dos postos de trabalho ocupados.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista, Jorge Kalamakian, destacou os problemas de mobilidade urbana enfrentados pela população, como os congestionamentos frequentes no trânsito e o tempo elevado de deslocamento entre os bairros e o centro da cidade. Outro ponto negativo citado é a atuação de vendedores ambulantes ilegais. Na avaliação dele, esses problemas prejudicam o comércio em Osasco.

Quando assumiu a pasta de Indústria, Comércio e Abastecimento, o Secretário Paulo Contim resgatou o trabalho apreensão de material fruto comércio ilegal em Osasco. “Os maiores beneficiados são os ambulantes regulares, que estão se adequando e se formalizando”, explicou.

Contim defende que as potencialidades de Osasco, como localização estratégica e a vocação para o comércio, sejam mais bem aproveitadas para o turismo de negócios. “Por que não ter aqui na região excursões para pessoas que querem fazer compras? Isso vai incentivar os hotéis, bares, restaurantes e toda rede de comércio da cidade”, acrescentou.

 

“Osasco que Queremos“

O Projeto “Osasco que Queremos” é uma iniciativa que visa ouvir a população e os mais diversos segmentos da sociedade sobre o que é preciso fazer para ter uma cidade melhor no futuro.

O encontro com empresários foi o primeiro realizado pela Câmara, por iniciativa do Vereador Mário Luiz Guide. No próximo dia 4 de junho, o Legislativo osasquense promoverá um novo encontro, desta vez com sindicalistas e representantes de sindicatos de Osasco e região.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: