Mulheres vítimas de violência doméstica aprendem uma nova profissão e começam as atividades nas Frentes de Trabalho da Prefeitura de São Paulo

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho iniciou  no Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo, o treinamento das primeiras mulheres selecionadas pelos programas Tem Saída e POT – Programa Operação Trabalho. A iniciativa, que promove a independência financeira de vítimas de violência doméstica, qualificará as participantes para a manipulação de alimentos e sensibilização nas feiras livres doadoras do Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos. Até o fim do ano, 100 mulheres irão participar da ação, que oferece uma bolsa de R$ 1.047,90 por mês, para seis horas de atividades de segunda a sexta feira.

O treinamento das participantes terá cinco dias de duração. No primeiro encontro, a equipe técnica do Banco de Alimentos promoveu dinâmicas descrevendo a importância da atuação dos agentes técnicos participantes do programa, desde a manipulação de alimentos até o contato com as entidades assistenciais cadastradas pelo Banco. Higiene, manuseio e aproveitamento integral de alimentos serão os assuntos abordados nos próximos dias de qualificação, que dará uma certificação de boas práticas na cozinha para cada mulher participante.

“Com a integração dos programas, conseguimos inserir mulheres vítimas de violência doméstica no mercado de trabalho dando a elas autonomia financeira e elevação da autoestima e ainda fortalecemos a campanha de combate ao desperdício de alimentos. Esse programa promoverá, ainda, a ampliação da coleta de frutas, legumes e verduras, impactando na alimentação de milhares de pessoas em estado de insegurança alimentar”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Ainda na segunda-feira, as participantes assinaram o termo de compromisso e responsabilidade do programa, com período de 12 meses, sendo possível estender o vínculo pelo mesmo período. A atuação nas feiras livres será iniciada a partir na próxima terça-feira, 20 de agosto. As participantes atuarão em duplas para maior abrangência de coleta e destinação dos alimentos às entidades. A escolha das feiras e das duplas foi feita de acordo com a moradia de cada participante, buscando facilitar o deslocamento das agentes. Também foram priorizadas organizações que atendem crianças e idosos que oferecem refeições na própria entidade.

Inicialmente, 16 feiras serão atendidas nas regiões central, oeste, leste e norte. As agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos atuarão em 100 feiras da cidade até o final deste ano. Nas feiras serão coletadas as frutas, verduras e legumes e nas entidades nas 200 das 310 entidades cadastradas no Banco de Alimentos ocorrerá a triagem dos alimentos que estejam em condições de consumo.

Toda segunda-feira, dia em que não ocorre feira livre em São Paulo, as Agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos visitarão as organizações sociais para passar orientações sobre o uso adequado dos alimentos, ensinar receitas nutritivas e ampliar as ações para redução do descarte dos itens recebidos.

Programa de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos

 Iniciado em outubro de 2017, o Programa idealizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho recolhe alimentos em boas condições de consumo, mas que seriam descartados por não possuir valor comercial. Atualmente, 12 feiras livres e dois mercados municipais participam da ação, que já doou mais de 112 toneladas de frutas, legumes e verduras.

Por meio de agentes operacionais vinculados ao POT – Programa Operação Trabalho, a coleta é direcionada para o Banco de Alimentos, local em que as frutas, verduras e legumes são submetidos a um processo de triagem. Por fim, a arrecadação é distribuída para as mais de 310 entidades assistenciais cadastradas pelo banco, responsáveis por oferecer refeições para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Programa Tem Saída

 Lançado em agosto de 2018, o Programa Tem Saída é uma política pública voltada à autonomia financeira e empregabilidade da mulher em situação de violência doméstica e familiar. A ação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, OAB-SP e ONU Mulheres.

A mulher atendida pelo sistema judiciário será encaminhada aos equipamentos de seleção de emprego da Prefeitura de São Paulo. No local, ela terá atendimento especial e entrevista prioritária às vagas disponibilizadas pelas empresas parceiras do Programa.

Programa Operação Trabalho

O Programa Operação Trabalho (POT), administrado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, possui atualmente 11 projetos e 1.420 pessoas atendidas. Tem como objetivo  qualificar o trabalhador desempregado, residente na capital e que pertença a família de baixa renda, visando estimulá-lo à busca de ocupação, bem como à sua reinserção no mercado de trabalho.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: