Mogi das Cruzes elege segurança pública, educação e saúde como principais demandas em audiência do Orçamento de 2023

Segurança pública, educação e saúde foram as demandas mais apresentadas na audiência pública para o Orçamento Estadual de 2023, realizada nesta sexta-feira, dia 27, pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, em Mogi das Cruzes.

Mogi faz parte do Alto Tietê, na região Metropolitana de São Paulo, junto a outros 11 municípios e leva esse nome em homenagem ao rio Tietê, que banha diversas cidades.

Durante o encontro, que foi realizado em formato híbrido, o secretário de governo de Mogi das Cruzes, Francisco Camargo, destacou a relevância da atuação da Alesp em ouvir os paulistas de todo o Estado. “É de grande importância a participação popular, principalmente na parte de orçamento e finanças. Sabemos que desse percurso, eles chegarão a um determinado ponto e que as necessidades, não só de Mogi das Cruzes, serão atendidas”, afirmou.

Segurança pública, que foi a demanda mais apresentada na audiência, foi a área reivindicada pelo vereador da região Edson Santos, que pediu a implantação de um centro para mulheres vítimas de violência, bem como a destinação de aluguel social para essas mulheres, e um centro para pessoas com deficiência.

“A delegacia em defesa da mulher 24h também é outro assunto discutido há tempos. Não dá para uma cidade com quase 500 mil habitantes, onde aumentou muito a violência contra a mulher, não ter uma delegacia 24h”, argumentou.

No mesmo sentido, o vereador de Mogi das Cruzes, Maurino José Da Silva pediu reforço para o efetivo policial do município. “Nós estamos sofrendo muito com a falta de efetivo na nossa cidade. Quase todos os dias pessoas são furtadas, os dados são alarmantes. Precisamos que seja incluído no Orçamento mais recursos para policiais”, informou.

Já o ex-vereador de Mogi das Cruzes Edson Camilo solicitou a criação de unidades policiais. “Eu peço à Assembleia para intervir junto a Secretaria de Segurança do Estado para instalar mais dois distritos policiais na região, pelo menos”, disse.

Na área de saúde, a vereadora de Mogi das Cruzes, Maria Luiza Fernandes, argumentou sobre a necessidade de um programa voltado para a saúde mental nas escolas estaduais. “Falta uma iniciativa do Governo do Estado para criar um programa para atender os jovens e fazer a adaptação ao retorno das aulas presenciais para eles se desenvolverem plenamente”, afirmou.

A presidente do Conselho Municipal de Defesa das Mulheres, Vânia Pereira, pediu investimentos para a infraestrutura das escolas públicas. “As escolas públicas estaduais não têm estrutura, oficinas e laboratórios. O Estado tem que disponibilizar mais recursos financeiros para estruturá-las”, disse.

Outras demandas

O presidente do Partido dos Trabalhadores de Biritiba Mirim, Eraldo da Silva, solicitou o aumento de investimentos na proteção dos royalties e também do meio ambiente. “Nossas cidades produzem muita água, em torno de 22%, no entanto, nós pagamos a água mais cara de São Paulo. Nós temos cinco barragens e não recebemos nada por isso”, relatou.

O vereador do município de Mogi das Cruzes, Edson Alexandre pediu investimentos na área do esporte. “A periferia tem levado várias crianças, cada vez mais, para a área do esporte, mas ela não tem incentivo. Quando o poder público fica ausente, infelizmente quem ocupa é o tráfico de drogas”, contou.

Já o ex-deputado estadual Auriel Brito Leal comentou sobre as demandas da população e apontou críticas. “É inadmissível que um Estado tão rico, que é São Paulo, não possuir uma política de saúde, segurança pública e de educação. Enquanto sobra dinheiro no caixa, as pessoas estão morrendo de fome”, disse.

O presidente da Câmara, Marcos Furlan, agradeceu a Alesp pelo evento e pelos trabalhos realizados. “Gostaria de parabenizar a Assembleia Legislativa por estar vindo às regiões, mais de 30 cidades. Isso é muito importante para a população porque ela está sendo ouvida”, afirmou.

Ao final da reunião, o deputado Dr. Jorge do Carmo (PT), integrou o debate comentando sobre as demandas da população.

Por fim, o presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, que conduziu os trabalhos nesta sexta-feira, o deputado Gilmaci Santos, afirmou que todas as demandas foram colhidas e que o Parlamento fará o possível para atendê-las. “Vamos compilar tudo o que ouvimos aqui hoje, não temos certeza de que vamos conseguir atender todas as demandas, porque seria uma ilusão afirmar isso, mas vamos trabalhar para isso”, finalizou.

 

ALESP

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: