Melhorias nas áreas de assistência social e saúde lideram demandas na audiência pública do Orçamento 2022, em Sorocaba

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo realizou, em Sorocaba, a décima sexta audiência pública para discutir o Orçamento estadual para 2022. Saúde e assistência social foram as principais pautas levantadas pelo público na reunião presidida pelo presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, deputado Gilmaci Santos (Republicanos).

Também estiveram presentes na audiência pública os deputados Enio Tatto (PT) e Raul Marcelo (PSOL).

Jeane Colaço, diretora da Associação Amigos dos Autistas de Sorocaba (Amas), falou sobre a necessidade de atendimento de pessoas com deficiência maiores de 29 anos. “Nós estamos passando por um processo, infelizmente, de terminalidade nos atendimentos”. “Eles finalizam aos 29 anos as atividades escolares e não existe mais nenhum tipo de atendimento para eles. No caso, eles ficam na casa sem nenhuma atividade”, disse.

Com um filho autista, o presidente da Amas, Celso Humaitá, sugeriu a criação da Residência dos Autistas, para dar assistência a essas pessoas para quando não tiverem quem os assista. “Quando eu não estiver mais aqui, nem minha esposa, quem ficará com o meu filho?”, afirmou.

Além de reforçar a demanda de atendimento aos autistas, a vereadora de Sorocaba Iara Bernardi pediu a implantação de uma nova unidade do restaurante Bom Prato, que oferece refeições de baixo custo. “O município de Sorocaba possui hoje 16 mil famílias e 43 mil pessoas em situação de extrema pobreza, 7.713 famílias e 22 mil pessoas em situação de pobreza e 12 mil famílias de baixa renda, segundo o relatório do Ministério da Cidadania”, disse.

A vereadora de Alumínio Profª Meire Barbosa disse que o Departamento Regional de Saúde é um dos que têm o menor número de médicos a cada mil habitantes. Ela enfatizou a necessidade de uma clínica de Assistência Médica Especializada (AME) na região. “No DRS XVI, que são 48 municípios, nós somos 4 milhões de habitantes e esses 48 municípios são atendidos por uma AME aqui em Sorocaba e em alguns momento também pelas AMEs de Itu e Salto, e aí a gente acaba sofrendo uma demanda muito grande, um acúmulo em filas de pacientes que às vezes morrem sem conseguir atendimento”, declarou.

Ainda sobre saúde, o deputado Raul Marcelo falou sobre a situação dos hospitais da região. “Estive visitando o conjunto hospitalar de Sorocaba e me deparei com uma situação dramática de falta de investimento para que a gente possa atender os 48 municípios da nossa região”, disse.

O vereador de São Roque Paulo Juventude falou sobre a inclusão dos jovens no orçamento. “Que a gente consiga promover iniciativas que contemplem a necessidade desses jovens, eles reconhecerem as instituições para poder assim estar juntos a elas para fazerem suas próprias políticas públicas”, disse.

“Eu acho que precisamos criar sim políticas públicas para a juventude do Estado de São Paulo. Fazer algo, acolher essa juventude, não somente no esporte, o esporte é necessário para todas as idades, mas a juventude precisa, além de esporte, de algo mais “, declarou o deputado Gilmaci Santos.

Já para o deputado Enio Tatto, a distribuição da quantia prevista no orçamento precisa ser revista. “É uma batalha na Assembleia Legislativa para gente incorporar emendas de todos os parlamentares para a gente melhorar o orçamento”, afirmou.

 

ALESP

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: