Barueri
Autoridades, artistas locais e alunos da FITO foram alguns dos participantes, que também puderam prestigiar a Abertura da Exposição Coletiva de Artes

Mais de 400 pessoas prestigiaram a Aula Magna da História de Osasco no Teatro Municipal

Nesta última terça-feira (20/2), o Teatro Municipal Glória Giglio foi palco da Aula Magna da História de Osasco, que faz parte da programação em homenagem aos 56 anos de emancipação político-administrativa do município, contando com a presença de alunos da Fundação Instituto Tecnológico de Osasco (FITO), artistas, empresários, autoridades e populares.

O presidente da Ordem dos Emancipadores, José Geraldo Setter, fez a abertura oficial, com o canto dos hinos de Osasco e do Brasil. Setter agradeceu a presença da vice-prefeita, Ana Maria Rossi, que estava representando o prefeito Rogério Lins, e parabenizou a todos os envolvidos neste evento simbólico de resgate histórico.

Com apresentação do vice-presidente da Ordem dos Emancipadores de Osasco, Nélio Wanderley Próspero e da escritora e autora de vários livros sobre a história de Osasco, Ana Lúcia Rocha Negrelli, o grande público fez uma “viagem no tempo”, mais especificamente ao século XIX, conhecendo um pouco mais dos passos do imigrante italiano Antonio Agú, fundador de Osasco. Ele, que nasceu na cidade italiana de mesmo nome, na região do Piemonte, deu ao município brasileiro o nome de sua terra natal.

Recém- hegado ao país, aqui instalou-se com sua família e construiu a estação ferroviária de Osasco, a primeira indústria do segmento de telhas e cerâmicas, pavimentou a única rua do município, Primitiva Vianco, nome de sua única filha, que foi casada com Antônio Vianco, doou terrenos para a construção da Igreja Matriz de Santo Antônio e o cemitério do Bela Vista, deu nome a conhecida rua do Calçadão Central, entre outros feitos que fizeram o progresso de Osasco.

Na apresentação do Jogral “Osasco, Minha Doce Osasco”, da Secretaria da Cultura, a plateia vibrou ouvindo as diversas lutas dos autonomistas e emancipadores para transformar Osasco nesta cidade pujante e desenvolvida; 2ª maior Economia do Estado e a 8ª cidade com maior PIB (Produto Interno Bruto) do país. Várias foram as dificuldades enfrentadas por esses guerreiros desbravadores que conseguiram, em 19 de fevereiro de 1962, emancipar Osasco da cidade de São Paulo.

O artista e escritor Luis Tamborilando fez as honras das homenagens pela emancipação de Osasco e apresentou um poema de sua autoria em homenagem a Antônio Raposo Tavares.

Abertura da Exposição Coletiva de Artes

O público que prestigiou a Aula Magna, pôde apreciar ainda, no Hall principal do Teatro Municipal, a abertura da Exposição Coletiva de Artes, da curadora osasquense Gladys Ometto.

A exposição reúne 24 obras e 1 escultura de 14 artistas. As telas, de dimensões que variam entre 50×60 a 120×90, retratam as técnicas e a linguagem artística de artistas como Luzinete Micai, Waldomiro de Deus, Waldeci de Deus, Juçara Rodrigues, Lourdes de Deus, Joel Godoy, entre outros.

Participaram dos eventos os vereadores De Paula, Rogério Santos, Jair Assaf e Ricardo Silva; o secretário municipal Sebastião Bognar (Cultura) e o adjunto Paulinho Samba de Rua (Cultura); o presidente da FITO, José Carlos Pedroso e alunos da instituição, inspetor Raimundo, comandante da GCM; Valdir da Silva Fraga, presidente do Lions Clube; João Pereira Lima, assessor do vereador Ricardo Silva; Marlene Mota, chefe de gabinete do vereador Cláudio da Locadora; Estela Catarina, chefe de gabinete da vereadora Dra. Régia; entre outros.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: