Justiça decreta prisão preventiva de agente penitenciário suspeito de matar político no Paraná

A Justiça decretou a prisão preventiva do agente penitenciário suspeito de assassinar o líder do PT em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. O anúncio foi feito, nesta segunda-feira (11), durante coletiva de imprensa do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

A Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp) informou, por meio de nota, que, no início da noite do domingo (10), foi formada uma força-tarefa para a condução das investigações do homicídio do guarda municipal Marcelo Aloizio de Arruda.

A delegada Camila Cecconello, chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), presidirá o inquérito policial e está em Foz do Iguaçu desde a manhã desta segunda-feira (11). A pasta informou ainda que uma equipe de investigadores da DHPP de Curitiba deve reforçar os trabalhos para garantir mais rapidez na apuração.

Entenda o caso

No domingo (10), a liderança do PT (Partido dos Trabalhadores) e guarda municipal em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, Marcelo Aloizio de Arruda, de 50 anos, foi assassinado em uma festa do próprio aniversário. O caso é investigado como intolerância política, mas ainda não há confirmação oficial da motivação do crime. A delegacia de homicídios da cidade apura as mortes.

suspeito é agente penitenciário federal. Também baleado, ele foi autuado em flagrante e internado em estado estável em hospital. Até a noite do domingo, estava internado na UTI.

Durante a confraternização, o agente penitenciário federal, identificado como Jorge José da Rocha Guaranho, teria chegado ao local em um veículo Creta, acompanhado por uma mulher e uma criança.

Conforme o relato de testemunhas, o agente federal teria descido do carro com uma arma na mão, gritado o nome do presidente Jair Bolsonaro e deixado o local. A festa continuou e o suspeito teria retornado, desta vez sozinho.

Ao perceber a presença do agente, a companheira de Marcelo, que é policial civil, se identificou e, na sequência, Marcelo teria relatado que era guarda municipal. O agente, então, atirou contra o guarda, que também estava armado e revidou. Os dois homens ficaram baleados na discussão.

Socorristas do Siate (Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência) foram acionados e prestaram atendimento às vítimas. Marcelo não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Guaranho foi internado em estado grave, em um hospital de Foz do Iguaçu.

O agente penitenciário é policial penal federal e trabalha na Penitenciária de Catanduvas, no oeste do Paraná, que fica a cerca de 200 quilômetros de Foz do Iguaçu. As duas armas, do guarda e do policial, foram recolhidas e encaminhadas para perícia.

 

Fonte: R7

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: