Barueri

Homem que agrediu namorada por 3 dias já foi preso por espancar a mãe do seu filho: ‘Não vai sair viva’

Em junho de 2020, Fred Henrique Moreira Lima, de 30 anos – acusado de agredir a namorada por três dias em um apartamento em Copacabana, no Rio -, já tinha submetido outra mulher a sessões de espancamento, tortura e cárcere privado.

A vítima na época foi a mãe de um de seus filhos, que foi até o apartamento de Fred, depois de receber uma ligação dele falando que queria conversar sobre a criança.

No local, ela começou a ser agredida depois de seu telefone tocar algumas vezes e Fred alegar que ela estava apanhando por permitir que a criança chamasse outro homem de pai. As informações constam no processo em que ele foi condenado a seis meses de prisão.

Fred Henrique e chegando à 12ª DP depois de ser preso por agressão, tortura e cárcere contra a namorada — Foto: Reprodução

Vassouradas e choques

Em seu depoimento, a vítima disse que levou socos, tapas, pontapés, vassouradas, choques além de sofrer queimaduras de uma panela quente. Ela ainda teria ouvido durante a sessão de tortura, que começou no dia 16 de junho de 2020: “Você não vai sair viva daqui”.

Ela narrou que desmaiou durante o espancamento e, que ao acordar, percebeu que Fred também dormia. Momento em que aproveitou para pedir ajudar ao ex-marido, que chamou a polícia.

Os policiais que fizeram a ocorrência no dia 17 de junho de 2020 contaram em juízo que havia vestígios de drogas no apartamento de Fred.

Fred foi preso e durante a audiência do processo, admitiu ter jogado o aparelho celular em cima da vítima e acrescentou que “pode ter dado uns tapas nela“. Ele foi condenado a seis meses e 16 dias de detenção.

Nova sessão de espacamento

Fred Henrique Moreira Lima voltou a ser preso na quarta-feira (4)acusado de agredir, torturar e manter em cárcere privado a namorada durante três dias em um apartamento em Copacabana, na Zona Sul do Rio.

Em audiência de custódia nesta quinta-feira (5), sua prisão temporária foi mantida mesmo ele alegando ter sido agredido, com chutes na mão, por policiais civis no ato de sua prisão temporária, mas o juiz destacou na decisão que o laudo de integridade física restou negativo.

Jornalista se diz aliviada com a prisão

A jornalista Ana Luiza Dias, de 37 anos, se disse aliviada ao saber que a prisão de Fred foi mantida. Ela contou ao g1 que está fora de casa para se recuperar. Ana disse ainda que está se alimentando apenas de comidas pastosas por causa da cirurgia no maxilar e que precisará fazer fonoaudiologia para voltar a falar normalmente.

“Dá um alívio muito grande, graças a Deus. Que a justiça seja feita. Não só por mim, mas por todas os crimes que ele já cometeu. Ele é um monstro”, disse

Ana no dia que foi registrar ocorrência na delegacia — Foto: Reprodução

A jornalista disse que está recebendo apoio jurídico e psicológico para superar o trauma. Segundo ela, o ex-namorado seguiu com as ameaças mesmo quando estava internada no hospital.

“Fica um alerta para as mulheres que acham que o cara agrediu e vai mudar. Não vai! É ilusão. Se ele agrediu no passado, vai agredir no presente”, disse ela que passou pela dinâmica.

Ana conta que voltou a ser ameaçada por mensagens quando estava internada — Foto: Reprodução

Agressão

Ana Luiza Dias contou que teve que descer nove andares de escada e pedir ajuda a uma pessoa do prédio onde estava em Copacabana para conseguir escapar das agressões de Fred.

“Eu desci nove andares de escada, não sei como. A gente às vezes dá um start na nossa vida que a gente não pode perder tempo. Me deu aquele ‘é agora ou vou morrer'”, contou.

Fred Henrique Lima Moreira foi preso na quarta-feira (4) e vai responder por tentativa de feminicídioestuprocárcere privado e tortura.

No apartamento onde ele estava, a polícia encontrou um bastão retrátil, um soco inglês e uma réplica de pistola. O suspeito permaneceu calado durante depoimento, segundo a polícia.

Materiais apreendidos na casa de Fred Henrique — Foto: Reprodução

Ficha criminal extensa

Essa não é a primeira passagem de Fred Henrique pela polícia. Segundo os investigadores, o suspeito já tem ficha por violência doméstica, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e ameaça.

A delegada descreveu como o caso chegou à polícia.

“Na sexta-feira (29), a Ana compareceu à delegacia com muitos sinais evidentes de lesões corporais – principalmente na região da face. Ela informou que, durante esses três dias, o Fred a manteve em cárcere privado e a espancou várias vezes. Além da agressão física, ela também foi submetida a tortura psicológica”, disse.

Traumatismo craniano e mandíbula fraturada

Exames constataram que Ana Luiza teve um traumatismo craniano e fratura na mandíbula. Ela ficou internada até quarta-feira (4).

"Se continuasse lá, iria morrer", afirmou Ana Luiza.  — Foto: Reprodução/TV Globo

“Foi ciúme, misturado com loucura. Ele cria histórias na cabeça dele – falou que tinha clonado meu celular. Ele inventou um motivo e partiu para cima de mim – está aqui o resultado. Estou com uma mandíbula de titânio, estou torta.”

Fonte: G1

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: