Festival Lei Aldir Blanc Barueri contempla 297 artistas e movimenta o cenário artístico

O Festival Lei Aldir Blanc Barueri 2021 foi um sucesso, contemplando quase 300 artistas da cidade. Neste ano, devido à abertura parcial para a presença de público, o evento ganhou novo formato e novos espaços de apresentação, descentralizando e democratizando o acesso à Arte e à Cultura para outros palcos.

Além do próprio Centro de Eventos, com apresentações em formato híbrido (virtual e presencial), o Festival Lei Aldir Blanc Barueri contou com shows na Estação Rodoferroviária da CPTM, no Centro.

No total foram contemplados 277 projetos, sendo o “edital 2” com apresentação de 47 grupos musicais, 21 de Danças, 14 de Teatro e sete de Circo. Já o “edital de Cultura de Afro-brasileira” contemplou 15 premiados, e o “LGBTQIA+”, 11.

“A Secretaria de Cultura e Turismo recebeu 532 inscrições em 2021, criou plantão de dúvidas e vídeo tutorial para os participantes. Contabilizamos mais de 900 artistas cadastrados, ampliando nosso conhecimento da cena artística e cultural da cidade”, afirmou Jean Gaspar, secretário de Cultura e Turismo.

Economia criativa
Não foram somente os artistas que sobem aos palcos os contemplados pelo Festival. Foi criado ainda um edital específico para os profissionais de Arte que atuam fora dos palcos ou trabalham com economia criativa, como o caso dos artesãos. A tradicional Feira de Arte e Artesanato (Feirarte) recebeu diversas oficinas dos artesãos locais oferecendo-as ao público frequentador da Feira.

Barueri é conhecida por ser uma cidade com vocação literária, principalmente por conta do Prêmio Barueri de Literatura. No processo de construção dos editais foi criado um específico para Obras Literárias, em que foram premiadas 30 trabalhos.

O mesmo aconteceu com as Artes Visuais, no qual outros 30 prêmios foram entregues, nas categorias pintura, escultura e fotografia. Já o muralismo teve trabalhos nas categorias profissional (oito) e amador (três), com intervenções artísticas nos muros do Parque Municipal Dom José, do Centro Comunitário Jaraguá Mirim, e das Estações Culturais entre outros espaços públicos da cidade.

Artistas participantes
O ator e diretor Paulo Américo foi um dos contemplado pela Lei Aldir Blanc. “A Lei foi um alento construído pela sociedade para minimizar os impactos da pandemia entre os trabalhadores do setor. É importante salientar que a Lei Aldir Blanc não veio para privilegiar um setor, mas sim reconhecer o valor desses profissionais”, afirmou o ator.

Ainda segundo Paulo Américo, a Arte na vida das pessoas é tão imprescindível quanto a saúde e a alimentação. “A Secretaria de Cultura e Turismo de Barueri entendeu e abraçou a Lei Aldir Blanc nesse momento tão difícil, nos deu todo suporte necessário para que os eventos sejam realizados”, completou.

Ricardo Nunes da banda cover Bee Gees Brothers afirma que a lei movimentou a economia e o lazer. “A equipe da Cultura de Barueri desde o início deu total suporte para todos nós”, disse.

Diogo Bueno, diretor de Projetos e Programação Cultural da Secretaria de Cultura e Turismo, coordenou o programa e destacou a participação dos artistas na confecção dos editais.

“A Lei Aldir Blanc nos trouxe, desde construção coletiva ouvindo os anseios e necessidades dos artistas até a dedicação e respeito de cada um da nossa equipe envolvido na realização, uma lição valiosa que foi ver que tudo fica mais fácil diante de grandes parcerias”.

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: