Cotia encerra a 1ª edição do ‘Projeto Acolher’ desenvolvido com crianças e adolescentes com autismo

A Prefeitura de Cotia, por meio da Secretaria de Saúde e em parceria com a Unip, encerrou a 1ª edição do Projeto Acolher desenvolvido para atender crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). A edição de estreia teve encontros semanais e atendeu 30 pessoas desde o final de agosto.

Os inscritos no Projeto Acolher participaram de diversas atividades que envolveram avaliação e orientação para os pais e responsáveis por crianças e adolescentes com TEA, além de visitas domiciliares, rodas de conversa, acolhimento. A programação também contou com palestras voltadas para o autismo e que foram ministradas por uma equipe multidisciplinar composta por psicóloga, nutricionista, profissionais da Educação e da Saúde.

Entre os participantes esteve a moradora Rejane Moraes Araki, mãe de um garoto autista. Segundo ela, o projeto cumpriu o seu papel de “Acolher”. [O projeto] caiu como uma luva. Eu me sentia sozinha e pensava que era só eu com dúvidas, medos e incertezas […]. Até aparecer este projeto, hoje, sinto suporte e me sinto totalmente acolhida”, disse Rejane. Segundo ela, quem convive com autista tem que enfrentar julgamentos e falta de compreensão. “A fisionomia [do autista] não representa o que ele tem, as pessoas julgam: ‘fica paparicando, criança mal-educada, não vai corrigir’ e a gente não sabia o que fazer”, desabafou.

A 1ª edição do Projeto Acolher foi um piloto para ajustes e melhorias para edições futuras. Também fizeram parte do projeto 20 estagiários de Fisioterapia da Unip. A iniciativa teve ainda o apoio da Secretaria de Direitos Humanos, Cidadania e da Mulher. Os encontros aconteceram no Fundo Social de Caucaia do Alto – cedido por sua presidente, Mara Franco, que também deu todo o suporte para a realização da programação no local.

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: