Conselho do Idoso de Barueri debate Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

Em 2006, a ONU e a Rede Internacional de Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa instituíram o dia 15 de junho com o objetivo de sensibilizar a sociedade para o combate às diversas formas de violências cometidas contra idosos. Desde então, a data tem sido um marco para discussão do assunto. Nesta quarta (dia 15), o Conselho Municipal do Idoso (CMI) de Barueri promoveu um debate híbrido na sede da Sads (Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social), onde profissionais da saúde, assistência social, ministério público e organizações da sociedade civil falaram sobre suas experiências e desafios.

 Dados

Rodrigo Menocci, vice-presidente do CMI abriu o evento abordando os diferentes tipos de violência contra o idoso, o crescente número de idosos no mundo, e a preocupação que Barueri tem com sua população idosa.

 A palestrante Eilane Souza, gerontóloga do Grupo Vida Brasil abordou aspectos como o crescimento a população idosa, os tipos de abuso e a importância da conscientização dos mais jovens e também dos profissionais. Ela disse que durante a pandemia houve um aumento de 53% nos casos de violência e que o maior percentual registrado foi em relação aos casos de negligência (quando faltam cuidados necessários por parte de familiares e/ou instituições). Eilane destacou ainda que o perfil do idoso que mais sofre violência está entre as mulheres de 60 a 70 anos que moram com seus familiares.

 Ocorre dentro de casa

Marcos Mendes Lyra, promotor público há quase 35 anos, relatou um perfil dos casos que atendeu. Lyra explicou que quando uma situação chega até a promotoria através de inquéritos policiais, normalmente os idosos não querem a punição dos filhos (na maioria usuários de drogas) e sim a recuperação deles. Para o promotor, uma medida interessante seria a reestruturação dessas famílias. Ele disse ainda que é importante valorizar não só a família biológica, quanto a estendida e a comunidade.

 Saúde

Amanda de Carvalho Dosatti, da diretoria da Saúde do Adulto no Cabs traçou um perfil sobre o atendimento dos idosos na saúde dizendo que o papel do profissional da saúde é ajudar na identificação de casos de violência, buscar sintomas psicológicos para prevenir doenças mentais e interrogar sobre a interação com a família.

 Acolhimento

Pelo CREAS, equipamento da assistência social, falaram Edinéia Camargo, assistente social e Michele José, psicóloga. Ambas são responsáveis pela equipe do Núcleo Idoso do PAEFI (Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos). Elas relataram que os objetivos de acompanhamento do CREAS são fortalecer vínculos familiares e comunitários, potencializar a função protetiva das famílias e também articular a rede de apoio às famílias. Tudo isto é feito de diversas maneiras, sendo que a mais efetiva são as visitas domiciliares.

 Serviço

Casos de violências contra idosos devem ser denunciados. Entre contato com o dique 100, a polícia, delegacia do idoso ou até mesmo nos Cras e Creas de Barueri.

 

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: