Conheça os perigos que os ossos de couro oferecem à saúde do cão

A presença de várias substâncias químicas e a consistência molenga tornam esses ossos perigosos para o organismo

Você já ouviu falar dos ossos de couro? Esse item, facilmente encontrado em pet shops pelo Brasil todo, foi desenvolvido para divertir e distrair os caninos. Além de ser barato, os animais adoram ficar mastigando por horas até o brinquedo se tornar molenga. Outra vantagem desses ossos é o auxílio que oferecem na limpeza dos dentes, remoção do tártaro e placa bacteriana.

Apesar de todos os benefícios citados anteriormente, os ossos de couro são extremamente perigosos para a saúde devido sua consistência e materiais utilizados na composição. Comprar esse item para o bichinho é praticamente uma sentença de morte. Portanto, mantenha-os longe de seu peludo.

 

A problemática consistência dos ossos de couro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando você compra o brinquedo no pet shop, ele está duro e intacto. Porém, o osso começa a ficar mole à medida que vai sendo consumido. É nesse momento que o produto se torna um perigo para a saúde do peludo.

Conforme vai ficando velho e desgastado, o cão pode arrancar pedaços grandes e acabar engolindo de uma vez só, provocando vários danos ao organismo, como obstruções gastrointestinais. Outra situação perigosa é o osso reduzir de tamanho e o animal acabar engolindo-o inteiro. Isso pode causar a morte do pet através de sufocamento.

Além de oferecer sérios riscos, esse tipo de mastigador não ajuda no trabalho das mandíbulas e nem fortalece os dentes do animal. Isso porque, após a interação constante do cão com o produto, ele perde a consistência dura e seu propósito.

 

Método de fabricação dos ossos de couro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esses ossos não são peles cruas de animais. Para serem vendidos, passam por uma série de processos que envolvem adição de substâncias prejudiciais à saúde. A primeira etapa é um banho químico para evitar a deterioração durante o transporte até a fábrica de curtumes.

Lá, os couros são embebidos e tratados com lixívia e serragem de madeira ou uma mistura tóxica de sulfito de sódio. Isso ajuda na remoção de pelos e gorduras que possam estar presos ao couro. Em seguida, a peça é novamente tratada com químicos para “inflá-lo”, facilitando no processo de separação em camadas.

A camada interior é a utilizada para fazer os ossos que, após o processo de curtume, será lavada e branqueada utilizando uma solução de peróxido de hidrogênio e/ou lixívia. É nesse momento que o cheiro de couro podre é eliminado.

A terceira etapa é a pintura. Os produtores adicionam corantes, quase sempre artificiais, de modo que a peça fique atraente para os cães. Por fim, a última fase garante a durabilidade do produto. Outros químicos serão adicionados nas tiras de pele em bruto, como chumbo, mercúrio e arsênio.

Além de provocar asfixia e bloqueios intestinais, ingerir esse produto também é perigoso devido a enorme presença de substâncias químicas. Irritações digestivas, intoxicação e alergias são alguns dos exemplos de problemas que podem causar ao organismo.

 

Como evitar o perigo?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A melhor maneira de evitar o perigo é não oferecendo esse tipo de osso. Mas, caso já tenha um exemplar em casa, sempre supervisione o animal quando estiver roendo o brinquedo. Jamais o deixe sozinho para evitar que engasgue ou engula. E, caso acontece algum imprevisto, você está por perto para socorrer.

Lembre-se de realizar inspeções regulares do aspecto do osso. Veja se tem pontas, lascas, está mole demais, etc. Em caso positivo, jogue fora e compre um novo para seu amigo. Se notar também que o brinquedo está muito pequeno, ou seja, de um tamanho que consiga ser colocado na boca, jogue no lixo.

Caso aconteça uma fatalidade, por exemplo, o animal engolir partes do couro ou o osso inteiro, não tente resolver o problema em casa. Leve-o urgentemente ao veterinário para receber atendimento médico.

 

Os melhores tipos de osso para um cachorro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As melhores opções de ossos são os fabricados naturalmente e que estejam crus. Para ajudar na escolha, só compre as marcas indicadas pelo veterinário e, de preferência, em locais de confiança. Opte por osso grandes, que sejam maiores que a cabeça do animal. Assim não existe a chance dele engolir a peça.

Jamais cozinhe ou asse antes de oferecer ao bichinho. A versão crua é a mais indicada por ser dura e difícil de quebrar. Se possível, escolha ossos com propriedades higiênicas. Assim, o animal se diverte e ainda elimina as bactérias bucais ao mesmo tempo.

Tenha bastante cuidado na hora de ofertar o brinquedo ao cão. Se ele já quebrou um dente roendo um osso, por exemplo, não é recomendado oferecer esse item novamente. Escolha outro produto no pet shop que também irá agradar.

Por fim, não se esqueça de comprar um osso para cada animal da casa. É importante que eles comam em lugares separados para evitar brigas por posse.

Agora que você já conhece os perigos dos ossos de couro , evite comprá-los e, se possível, jogue fora os exemplares que tiver. A saúde e segurança do canino deve sempre vir em primeiro lugar.

 

Fonte: canaldopet.ig.com.br

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: