Com “ômicron”, vacina infantil é fundamental para proteção de toda a população

A expressiva expansão do número de contaminações da Covid-19 causada pela variante “ômicron” tornou a vacinação infantil fundamental na estratégia de enfrentamento da pandemia. Além dos casos registrados em adultos, o número de crianças afetadas pela doença cresceu consideravelmente no país e Barueri não é exceção.

Portanto, o esforço da vacinação segue intenso na cidade e a Secretaria de Saúde reafirma a importância de os pais ou responsáveis imunizarem suas crianças.

Mutirão de vacinação infantil

Neste final de semana (dias 29 e 30 de janeiro), a Prefeitura de Barueri imunizou 3.167 crianças de 5 a 11 anos – com e sem comorbidades. No final de semana passado, 5.566 crianças nesta faixa etária receberam a dose da vacina.

“Todos os estudos verificaram que não há riscos para as crianças se vacinarem, sendo fundamental que todas se imunizem para a proteção individual e coletiva da população”, disse a diretora de Saúde da Criança de Barueri, Vera Freire Gonçalves. A diretora ressaltou que a vacinação das crianças é necessária porque a Covid-19 pode causar sequelas graves nos pequeninos e até mesmo óbitos.

Síndrome inflamatória multissistêmica

Um dos problemas causados, embora não seja comum, é a gravíssima síndrome inflamatória multissistêmica (SIM-P), associada à Covid-19, que pode levar a óbito. A coordenadora de Vigilância em Saúde de Barueri, Rosana Perri Andrade Ambrogini, destacou que a Covid-19 causou mais óbitos em crianças e adolescentes no Brasil no ano passado do que qualquer outra doença imunoprevenível.

“Estudo feito pelo centro de controle de doenças dos Estados Unidos demonstrou que crianças podem desenvolver casos graves da doença e também podem ter complicações de saúde a curto e longo prazos”, ressaltou Rosana.

“Para se diminuir a circulação do vírus é imprescindível a vacinação na faixa etária pediátrica”, completou Vera. A diretora destacou que as sociedades brasileiras de Pediatria, a de Infectologia e a de Imunologia também emitiram pareceres favoráveis recomendando a vacina.

Segundo as entidades, os benefícios da imunização das crianças entre cinco e 11 anos supera em muito eventuais riscos associados à vacinação neste contexto da pandemia.

“Efeitos adversos graves não foram demonstrados com a vacinação das crianças, os benefícios, inclusive com o aumento da produção de anticorpos na população desta faixa etária, mostram que a vacinação com as duas doses é primordial para que possamos proteger a população de um modo geral e essa faixa pediátrica de cinco a 11 anos”, ressaltou Vera. “Inclusive, proteger do agravamento das sequelas provocadas pelo vírus”, completou a diretora.

 

Siga nas redes:
Instagram: jornalimprensaregionalregoeste
Site: jimprensaregional.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pg/jimprensaregional

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: